(67) 3331-1655
Seg. a Sex. - 12h às 18h. Atendimento ao público: 12h às 17h

Notícias

Faça sua busca de notícias

Ir para: Todas as Notícias
Publicado em: 05/11/2019

Operação entre CRAS, CEAS e Hospital Veterinário da UCDB buscam causas de emagrecimento em Onça Parda

CRMV-MS destaca importância do médico-veterinário no cuidado dos Animais Silvestres

CRMV-MS destaca importância do médico-veterinário no cuidado dos Animais Silvestres

Uma verdadeira operação de guerra foi montada para descobrir as causas da perda de peso da onça parda que vive há seis anos no CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) de Campo Grande.

Na tarde de segunda-feira (04/11) uma equipe multidisciplinar foi montada entre o Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso do Sul (CRMV-MS), por meio da Comissão Estadual de Animais Silvestres (CEAS) em parceria com a Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e os servidores do CRAS, com o intuito de levar a onça parda para fazer um check-up e verificar como anda a saúde do felino.

De acordo com o médico-veterinário do CRAS, Dr. Lucas Cazati a onça parda perdeu muito peso nos últimos dias, além de prolongar o período de jejum entre uma refeição de outra. “É comum um animal desse porte ficar alguns dias sem comer, após se alimentar. Porém, essa onça em questão está apática, não está comendo e perdeu muito peso em pouco tempo. Precisamos descobrir a causa”, pontuou.

Para tanto, alunos da UCDB foram designados pela professora, Dra. Paula Helena Santa Rita para ajudar na operação de transferência do animal para o hospital da Instituição onde foram realizados exames: Avaliação da arcada dentária, ultrassom abdominal, Raio-X total de tórax, hemograma, função renal e hepática, verificação das vias respiratórias e auditivas, enfim um check-up completo para descobrir as causas desse emagrecimento abrupto.

O presidente do CRMV-MS, Rodrigo Piva fez questão de acompanhar a transferência da onça parda justamente por defender a importância do médico-veterinário na garantia do bem-estar animal. “Criamos a Comissão Estadual de Animais Silvestres (CEAS) justamente para nortear os trabalhos desenvolvidos em prol da manutenção desses animais no seu habitat natural e também dos mantidos de forma legal em cativeiros autorizados. Combatendo o tráfico e comercialização de animais silvestres”, pontuou.

Para fazer o transporte com segurança, a onça parda foi sedada com tranquilizantes e removida para o hospital veterinário da UCDB. Chegando na instituição a Dra. Paula Helena Santa Rita, acompanhada das Dra. Magyda Arábia Araji Dahroug e Dra. Joyce Kattiucia Medeiros Ramos Carvalho com dezenas de alunos de Medicina Veterinária recepcionaram e examinaram detalhadamente o animal.

Paula Helena Santa Rita é coordenadora da Comissão Estadual de Animais Silvestres (CEAS) do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso do Sul (CRMV-MS) e defende o trabalho em conjunto para a conservação da fauna sul-mato-grossense. “A CEAS é o elo entre a instituição pública, no caso o CRAS, e as universidades. Hoje o animal está sendo atendido aqui no Hospital da UCDB, graças a essa ponte. Favorecendo inclusive a obtenção de dados técnicos científicos que são mais difíceis de se conseguir quando se trata de animais silvestres”, avaliou.

Assim que os resultados dos exames foram concluídos será possível diagnosticar o real motivo que fez com que a onça parda adoecesse.



Venda de Animais Silvestres - O Brasil movimenta ilegalmente cerca de 12 milhões de animais por ano. O comércio interno de animais ajuda a alimentar o tráfico internacional de animais silvestres.

Em média, de cada dez aves transportadas por traficantes, nove morrem no caminho. A estimativa é do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal. Em alguns casos, levá-los de volta à natureza é quase impossível.

A pena para quem trafica animais silvestres varia de 6 meses a um ano de prisão e multa. Tráfico de animais silvestres é crime, portanto denuncie através da Linha Verde do IBAMA  0800 61 8080 (ligação gratuita).

 Ascom CRMV-MS